Psicologia Espiritual de Joanna de Ângelis

20 06 2010

Da Psicologia Transpessoal à Psicologia Espiritual de Joanna de Ângelis

Suely Caldas Schubert

“(Os Espíritos) tornam inteligíveis e patentes verdades que haviam sido ensinadas sob a forma alegórica. E, justamente com a moral, trazem-nos a definição dos mais abstratos problemas da psicologia.” Allan Kardec. (“O Livro dos Espíritos”, Conclusão VIII.)

O momento atual é, essencialmente, o das questões psicológicas, a tal ponto que os estudiosos e pesquisadores desse atraente campo estão voltados para um esforço conjunto de se fazer um mapeamento do psiquismo humano, do cérebro e seus meandros e a sua fantástica potencialidade. Estuda-se a mente desde as suas reações a partir do feto até os doentes terminais em idade avançada ou não, e também nas experiências de quase morte (EQM). Há um novo entendimento, uma nova visão e uma constante busca desde que tais especialistas concluíram que existe algo mais além do cérebro.

Foi assim que no final da década de 60 surgiu a Psicologia Transpessoal, como resultado dessas pesquisas, abrindo-se, então, perspectivas ilimitadas e cada vez mais surpreendentes para os que se dedicam a tais estudos.

Exatamente porque começam a perceber e desvendar os domínios do Espírito imortal.

Esse grupo de pesquisadores, liderados por Abraham Maslow, Stanislav Grof, Roberto Assagioli, Roger Walsh e, mais recentemente, Fritjof Capra, Ken Wilber e outros, investiga as possibilidades de manifestação e expansão da mente, admitindo e incorporando aos seus estudos desde as práticas mais primitivas até as mais sofisticadas que englobam fatos mediúnicos e anímicos, e até mesmo casos de possessões espirituais, assinalados na história dos povos, tanto no Oriente quanto no Ocidente.

Por diferentes caminhos, através da regressão de memória que a hipnose terapêutica enseja, outros resultados são alcançados – como a comprovação da reencarnação, por exemplo, fato que por si só revoluciona todas as teorias e paradigmas vigentes. O campo dessas pesquisas é ilimitado.

Parafraseando o Codificador, diremos: “Ergue-se o véu” e começa-se a desvendar os arcanos do Espírito.

A mente do homem encarnado descobre que a mente do Espírito desencarnado subsiste e prossegue além de todas as coisas. Estas evidências, deixadas ao longo dos milênios no rastro luminoso dos fatos mediúnicos, estão sendo, finalmente, percebidas e admitidas pela ciência moderna.

São extraordinários os caminhos humanos e os recursos dos Espíritos Superiores para ensejarem aos cientistas atuais essas conquistas que levarão a Humanidade a uma nova era: a Era do Espírito.

Notável também observamos que Allan Kardec, percebendo a importância das questões psicológicas, e que os Espíritos Superiores estavam trazendo “a definição dos mais abstratos problemas da psicologia”, colocou como subtítulo da Revista Espírita: Jornal de Estudos Psicológicos.

Estas considerações levam-nos a um pensamento de Calderaro, extraído da obra de André Luiz “No Mundo Maior”: “O homem, para auxiliar o presente, é obrigado a viver no futuro da raça”.

Esta foi sempre a realidade dos grandes vultos da Humanidade.

A Doutrina Espírita, tendo sido elaborada e transmitida pelos Espíritos da Falange do Espírito de Verdade, é, sob este aspecto, uma Revelação, mas simultaneamente apresenta em seus fundamentos a contribuição do homem, na pessoa de Allan Kardec, o nobre Codificador. Assim, é um repositório de verdades eternas, e por isso mesmo, intemporais. O Mestre lionês, correspondendo à altura, pontifica como expressivo exemplo dos que vivem adiante do seu tempo.

Tal é a razão de os ensinamentos da Doutrina dos Espíritos chegarem até nós como se tivessem sido transmitidos no momento atual.

A Espiritualidade Superior, atenta e pressente, não cessa de renovar as lições imortais, acompanhando o progresso humano e mais do que isto: motivando-o através da intuição, trazendo contribuições atualizadas e, em especial, visando os tempos futuros, preparando o homem para uma nova era.

Nesta linha de raciocínio é imprescindível ressaltar a notável contribuição da Mentora Espiritual Joanna de Ângelis, que através da psicografia de Divaldo Pereira Franco tem sinalizado para a Humanidade os rumos seguros para alcançar a paz e a felicidade.

Há dez anos ele inovou, apresentando uma proposta diferente: os temas psicológicos. Quando em suas reencarnações de que temos conhecimento, Joanna sempre esteve adiante do seu tempo, e, atualmente, na Espiritualidade Superior, ela propõe ao ser humano, aturdido e sofredor, uma viagem em busca de si mesmo contando com a segura e fiel participação de seu médium, Divaldo Franco, através do qual ela transmite à Terra o seu pensamento de invulgar brilhantismo e elevação.

Com sua percuciente visão espiritual, Joanna de Ângelis envereda pelos labirintos da mente humana, estudando suas reações e potencialidades e confrontando as conquistas mais recentes da Psicologia Transpessoal com a diretriz espírita, a qual, apresentando o ser humano como Espírito imortal, que antecede ao berço e prossegue além do túmulo, transcende o que até agora foi alcançado pelos pesquisadores terrenos.

Conforme ela própria esclarece “tentamos colocar pontes entre os mecanismos das psicologias humanista e transpessoal com a Doutrina Espírita, que as ilumina e completa, assim cooperando de alguma forma com aqueles que se empenham na busca interior, no autodescobrimento”.¹

__________

A Espiritualidade Superior, atenta e presente, não cessa de renovar as lições imortais, acompanhando o progresso humano”

__________

“Plenitude”, “Momentos de Consciência”, “O Homem Integral”, “Autodescobrimento”, “O Ser Consciente”, e o mais recente “Vida: Desafios e Soluções”, são as obras que, especificamente, apresentam a visão psicológica da Mentora de Divaldo, sempre embasada na Doutrina e nos ensinamentos de Jesus, a quem ela denomina de Terapeuta Superior.

Temos como sofrimento, rotina, ansiedade, medo, solidão, neuroses, fobias, mitos, problemas sexuais, arquétipos, vícios mentais, o inconsciente, o despertar da consciência, a conquista de si mesmo e muitos outros, e a conseqüente abordagem dos eminentes pesquisadores do passado e da atualidade, desfilam nas páginas desses livros e evidenciam, de imediato, ao leitor, no confronto com a diretriz espírita e com a própria contribuição pessoal que ela apresenta, a superioridade destes conceitos, respostas, explicações e caminhos.

Como de hábito, realçando o Espiritismo, ela afirma: “O Espiritismo, por sua vez, sintetizando diversas correntes de pensamento psicológico e estudando o homem na sua condição de Espírito eterno, apresenta a proposta de um comportamento filosófico idealista, imortalista, auxiliando-o na equação dos seus problemas, sem violência e com base na reencarnação, apontando-lhe os rumos felizes que deve seguir”.²

Em verdade, o Espiritismo é o grande desconhecido.

Temos que admitir que somente um ínfima minoria teve, até agora, conhecimento de sua existência, daí a importância dessas obras específicas de Joanna, escritas de tal forma que o leitor não espírita tem condições de apreender essa transcendência, seja pela argumentação lógica seja pela visão reencarnacionista e espiritual que a tudo modifica e suplanta.

Esta notável contribuição de Joanna de Ângelis, para um amplo entendimento dos problemas psicológicos, denota, uma vez mais, a sua preocupação em ajudar o ser humano a despertar do sono hibernal dos milênios, propelindo-o para cogitações superiores, motivando-o a buscar a felicidade através da conquista de si mesmo. Tudo isto mais não é que a proposta de Santo Agostinho, conforme a questão 919 de “O Livro dos Espíritos”, quando concita o homem ao autoconhecimento, que a autora espiritual apresenta num discurso atualizado e ao gosto de nossa época.

Isto é VIVER NO FUTURO DA RAÇA.

__________

1. FRANCO, Divaldo P. Autodescobrimento, pelo Espírito Joanna de Ângelis, 2ª ed.

LEAL, 1996, Salvador (BA) p.13.

2. FRANCO, Divaldo P. O Homem Integral, pelo Espírito Joanna de Ângelis; 2ª ed. LEAL,

1996, Salvador (BA) p.9.

Fonte: Revista Reformador – julho/1998

http://www.terraespiritual.locaweb.com.br/espiritismo/artigo2031.html

Anúncios