Contribuições da psicologia e psiquiatria para a Reforma Íntima

19 05 2010

As contribuições da psicologia e psiquiatria para a Reforma Íntima são muitas, mas dirigidas principalmente ao plano do ego ou da personalidade.(Ver texto sobre o ego)

As abordagens transpessoais incluem a dimensão do espírito. Isto traz implicações práticas importantes.

Na psicologia do ego o que importa é o bem estar do individuo com ele mesmo e com sua vida e secundariamente com o meio. Esta abordagem é extremamente útil e em muitos casos necessária, mas não inclui a dimensão do espírito e o significado espiritual e evolutivo da vida.

As pessoas que tiveram muitas marcas no passado (infância), aquelas que possuem um ego pouco estruturado (ver texto sobre o ego) necessitam de fazer paralelamente psicoterapia para o auto enfrentamento da reforma intima.

O trabalho de autoconhecimento e reforma intima necessita de um ego forte para que seja efetivo e suportável.

A psicologia transpessoal é particularmente indicada para pessoas com sofrimento existencial e insatisfações da alma, mas às vezes menos efetiva para o fortalecimento do ego.

Um aspecto importante na intercessão entre a psicologia/psiquiatria e a reforma intima é levar sempre em conta a nossa realidade de espírito, isto é, de que existe um sentido maior para vida do que a satisfação de nossos caprichos, desejos e as realizações materiais. Apesar de ser esses aspectos importantes, a vida não pode se restringir a eles.

Uma pergunta que precisamos fazer sempre: Qual é o desejo de minha alma nesse aspecto? O que me leva mais próximo do propósito de meu espirito? Mesmo que não fique claro a resposta a principio, é necessário perguntar sempre e confiar em que  seremos respondidos de alguma forma. Para isso sempre vale a pena lembrar que não estamos sós e se pedirmos, seremos também intuídos.